top of page
  • Foto do escritorGrisea Biotecnologia

Descubra como as algas contribuem de forma sustentável para o sequestro de carbono

Nós já sabemos que as algas possuem uma beleza natural e diversidade impressionantes, mas elas também desempenham um papel crucial no sequestro de carbono, uma função essencial na luta contra as mudanças climáticas, já que o CO₂ é um dos principais gases do efeito estufa responsáveis pelo aquecimento global. Portanto, quanto mais CO₂ conseguirmos retirar da atmosfera, menor será o impacto das mudanças climáticas.



Descubra como as algas contribuem de forma sustentável para o sequestro de carbono


Mas afinal, o que é sequestro de carbono e como as algas colaboram de forma sustentável?


O sequestro de carbono é um processo fundamental para mitigar os efeitos das mudanças climáticas. Ele envolve a absorção e armazenamento de dióxido de carbono (CO₂) da atmosfera, reduzindo sua concentração e, consequentemente, o impacto do efeito estufa.


Quem realiza o sequestro de carbono são organismos vivos fotossintetizantes, como plantas, cianobactérias e algas, absorvendo o COda atmosfera por meio da fotossíntese. Mas hoje, nós vamos focar nas algas, que desempenham um papel crucial nesse processo.


Isso porque as algas, como a Kappaphycus alvarezii, são verdadeiros “reservatórios” de carbono no fundo do mar. Durante o processo de fotossíntese, elas convertem o COem açúcares e oxigênio, contribuindo para a saúde dos oceanos e para a qualidade do ar.


Além de desempenharem um papel vital na produção de oxigênio, as algas também têm um impacto significativo no ciclo do carbono. A proliferação desses organismos no oceano pode capturar gás carbônico da atmosfera, atuando como verdadeiras “guardiãs” do carbono. Ao absorver o COdurante a fotossíntese, as algas ajudam a minimizar os efeitos das mudanças climáticas, armazenando esse carbono em suas estruturas celulares e convertendo-o em biomassa.


A prática da aquicultura sustentável, que envolve o cultivo de algas em fazendas marinhas, é uma estratégia cada vez mais adotada. Além disso, por meio da fotossíntese, as algas sintetizam uma série de compostos, os quais colaboram para que elas sejam uma fonte renovável de alimentos e de matérias-primas para produtos biodegradáveis, como bioplásticos. Dessa forma, essa prática contribui significativamente para o sequestro de carbono.


Ao cultivar algas de forma controlada e sustentável, podemos reduzir a pegada de carbono e promover uma economia mais verde e equilibrada.


O que torna as algas ainda mais especiais é a sua alta taxa de crescimento e a capacidade de se desenvolver em diversos ambientes. Isso significa que as algas têm um potencial de sequestro de carbono muito significativo em comparação com outras plantas terrestres.


Os nossos bioplásticos de alga são biodegradáveis e compostáveis, fechando o ciclo sustentável e minimizando o impacto ambiental. Dessa forma, não apenas ajudamos a combater as mudanças climáticas, mas também promovemos um futuro mais verde e sustentável para as gerações futuras, reduzindo a dependência de recursos não renováveis e contribuindo para o sequestro de carbono.


Portanto, da próxima vez que você estiver admirando a beleza das algas em um oceano, lembre-se do importante papel que elas desempenham na preservação do nosso planeta. E se estiver interessado em contribuir para essa causa, considere escolher produtos sustentáveis, como os bioplásticos de alga da Grisea!  Conteúdo e redação por:

Thainá Coelho


Comments


bottom of page